Gente que Reza - Seguidores!

Pesquisar este blog

sexta-feira, 6 de abril de 2012

A VIA SACRA


"A linguagem da cruz é loucura para os que se perdem, mas, para os que foram salvos, para nós, é uma força divina. Está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e anularei a prudência dos prudentes (Is 29,14). Onde está o sábio? Onde o erudito? Onde o argumentador deste mundo? Acaso não declarou Deus por loucura a sabedoria deste mundo? Já que o mundo, com a sua sabedoria, não reconheceu a Deus na sabedoria divina, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura de sua mensagem. Os judeus pedem milagres, os gregos reclamam a sabedoria; mas nós pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos; mas, para os eleitos – quer judeus quer gregos –, força de Deus e sabedoria de Deus. Pois a loucura de Deus é mais sábia do que os homens, e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens." I Coríntios. I, 18-25.

"Eu não quero saber doutra coisa, senão de Jesus, de Jesus Crucificado" (I Cor. II, 2). Quem quiser, diz S. Boaventura, crescer sempre em virtude e em graça, medite incessantemente os sofrimentos de Jesus Cristo. Ao mesmo Santo, pergunta São Tomás de que livro se socorria para tão belos ensinamentos quais eram os seus, e apontou São Boaventura para a imagem do Senhor na cruz: “Eis aqui, disse, o livro onde aprendi o pouco que sei”. Não há bálsamo tão consolador nas tribulações, lenitivo tão doce aos sofrimentos, conforto tão eficaz para as desventuras, como a lembrança da Paixão de Jesus. Nas chagas de Jesus crucificado aprenderam os Santos a coragem e Constancia com que sofreram as torturas, o martírio e a morte.

Condições indispensáveis para a meditação da Via Sacra:

1º. Percorrer sucessivamente as 14 estações, exceto em vias sacras públicas, em que o ministro percorre pelos fiéis;
2º. Percorrê-las sem interrupção notável;
3º. Meditar a Paixão do Senhor.

Eis, portanto, a meditação da Via Sacra, segundo o método apresentado pelo Frei Goffinè, em seu "Manual do Christão":

GOFFINÈ. Manual do Christão. Rio de Janeiro, RJ. Imprensa da Sacristia da do Colégio da Imaculada Conceição: 15ª Edição, 1944.


NIHIL OBSTAT: Pe. João Baptista de Siqueira. Rio de Janeiro, 20 de maio de 1930.
IMPRIMATUR: Mons. Rosalvo Costa Rego. Rio, 20, 5, 1930.
IMPRIMI POTEST et DE PERMISSU SUPERIORUM: Pe. Affonso Maria Germe. Rio, 6, 5, 1942.



A VIA SACRA





ORAÇÃO PREPARATÓRIA

Ó MEU Jesus! Amo-Vos mais que todas as coisas, porque sois infinitamente bom. Pesa-me de todo o coração, de vos ter ofendido, a Vós, que sois meu soberano bem. Ofereço-Vos este piedoso exercício em memória do que sofrestes no caminho do Calvário, por amor de mim, que sou um indigno pecador. – (Se for oferecido às almas do purgatório)Intento ganhar e aplicar às almas do Purgatório a indulgência plenária anexa a este piedoso exercício.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON
ESTAÇÃO I. 
Jesus condenado à morte.


V. Adoramus te, Christe, et benedicimus tibi.
R. Quia per sanctam crucem tuam redemisti mundum.


V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus, e vos bendizemos.
R. Porque com a vossa cruz remistes o mundo.


PODIA o Divino Salvador nosso pulverizar com uma palavra, com um olhar só, aquele infame Juiz e a turba dos Judeus e algozes; queria, porém, satisfazer à justiça de seu Pai por todos os pecados do mundo, calou-se!... Obrigue-nos este exemplo a sofrer as injustiças dos homens, como satisfação à justiça eterna, tantas vezes por nós desacatada.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI


Miserere nostri, Domine, miserere nostri
Tende piedade de nós, Senhor, tende piedade de nós.


PELO CAMINHO:


Sancta Mater istud agas,
Crucifixi fige plagas
Cordi meo valide,


Gravai, ó Mãe Santa, em meu coração, as chagas de Jesus Crucificado.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON
ESTAÇÃO II. 
Jesus com a cruz às costas.


V. Adoramus te, etc.


RECEBE Jesus, o justo por excelência, da mão dos algozes, o pesado lenho do seu sacrifício: E nós, pecadores, como recebemos as cruzes, às vezes tão leves, que nos envia o misericordioso Senhor, para lembrar-nos a devida penitência? – Comparemos, julguemos!


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO III. 
Jesus cai debaixo da cruz, primeira vez.



V. Adoramus te, etc.


CAI ao peso da cruz nosso Redentor. Levanta-se no meio de sangrentos insultos. Eis como se dignou expiar nossas quedas. – Sigamo-lo, pois, com o coração sinceramente contrito e penetrado, no caminho doloroso que aceitou trilhar por nós.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO IV. 
Jesus encontra sua Mãe Santíssima.




V. Adoramus te, etc.


IMENSA foi a aflição da mãe e do Filho, neste crudelíssimo encontro. Maria, porém, conhecia o plano divino, sabia que Jesus havia de ser imolado pela glória do Pai e Redenção do mundo, e dela também era o holocausto. – Alcance-nos a Mão do Salvador, os sentimentos de suas virtudes heróicas com perfeita imitação do seu divino Filho.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA O PAI.


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO V. 
O Cirineu ajuda Jesus a carregar a cruz.



V. Adoramus te, etc.


MEDITEMOS o ato que permite aqui Jesus. Não lhe falta a força àquele que sustenta o universo; quer, porém, ensinar-nos, aceitando tal auxílio, que nos devemos ajudar uns aos outros, no caminho da vida, com serviços e obséquios recíprocos.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI.


Misere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO VI. 
A Verônica enxuga a face de Jesus.



V. Adoramus te, etc.


DULCÍSSIMO Jesus meu! Assim como recompensastes a compassiva e generosa Verônica, com vosso retrato, no véu que enxugou vosso rosto sagrado, dignai-vos de imprimir em nossos corações vossa imagem, e os vossos padecimentos por nós, que nunca os possa o pecado ofuscar ou delir.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO VII. 
Jesus cai, segunda vez.



V. Adoramus te, etc.


SUCUMBE de novo o Divino Cordeiro, ao peso dos nossos pecados antes que do lenho ignominioso. Ergue-se logo, continua sua marcha para o Calvário. – Exemplo para nós, de nunca entregarmo-nos ao desalento: retemperando-os com nova graça nas águas benditas da penitência.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI.


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO VIII. 
Jesus consola as mulheres de Jerusalém.



V. Adoramus te, etc.


NÃO choreis por Mim, chorais antes por vós e por vossos filhos, diz Jesus ás mulheres de Jerusalém, pensando só nas calamidades iminentes sobre sua pérfida pátria... E nos ensina que mais agradável lhe será nossa compaixão, se primeiro chorarmos nossos pecados, causa que são do seu sacrifício.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI.


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO IX. 
Jesus cai, terceira vez.



V. Adoramus te, etc.


TANTAS e tão graves são as nossas ofensas, que de novo prostram o nosso Salvador. – O que, porém, lhe causa tristeza mortal, é que será baldado para muitos, o sangue que derrama. Não sejamos nós ingratos tais, protestemos antes, corresponder amorosamente à sua divina graça.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI.


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO X. 
Jesus despido da túnica inconsútil.



V. Adoramus te, etc.


ABRACARAM-LHES os algozes a túnica inconsútil, pegada ao corpo pelas feridas sem conta da flagelação, e o despojaram, à vista do amotinado povo. – E eu, seu discípulo, tão apegado às vaidades, tão cobiçoso dos bens presentes... Livrai-me Senhor, e restituí-me a veste nupcial da vossa graça!


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI.


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO XI. 
Jesus pregado na cruz.



V. Adoramus te, etc.


QUE atroz suplício nosso Redentor, quando lhe transpassaram as mãos e os pés sagrados com enormes cravos, e o crucificaram! Com este sangue a correr em jorro, conheçamos o preço duma alma, e quanto custou a nossa. Detestemos o pecado, causa de tantas dores. Prendei, Senhor e Redentor meu, à vossa cruz minha vontade, nada a separe da vossa.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI.


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO XII. 
Jesus expira na cruz.



V. Adoramus te, etc.


DEPOIS de três horas de agonia, expira o nosso Redentor. Logo o céu, o sol, a lua, a terra, as pedras, todos os elementos se comovem em pavoroso assombro... – Choremos nossas iniqüidades, causa desta morte, e prometamos a Jesus pagar amor com amor, procurando com zelo ardente a salvação das almas.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI.


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO XIII. 
Jesus descido da cruz.



V. Adoramus te, etc.


MARIA recebeu em seus braços o corpo inânime de seu adorado Filho. Então mais fundo que nunca lhe penetrou à alma o gládio profetizado outrora por Simeão. Então seria aquela dor grande como o mar... – Ó Mãe dolorosíssima, nossas culpas foram a causa do martírio vosso, e de vosso Filho; suplicai-lhe por nós, que nos penetre o coração o sincero arrependimento e o firme propósito de emenda para todo o sempre.


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI.


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.



© PFARRKIRCHEN STIFTUNG ST. LAMBERT SEEON 
ESTAÇÃO XIV. 
Jesus depositado no sepulcro.



V. Adoramus te, etc.


O SEIO do Pai eterno, o seio da Virgem, a gruta de Belém, a cruz do Calvário, o sepulcro de Gethsemani... Aqui termina a fulgurante carreira do nosso Redentor... Aí está debaixo de enorme pedra! Tudo para me salvar... e eu tão pouco farei pela minha salvação que tão caro custou a Jesus Deus-Homem!


PAI NOSSO – AVE MARIA – GLÓRIA AO PAI.


Miserere nostri, etc.
Sancta Mater etc.


PAI NOSSO (6x) – AVE MARIA (6x) – GLÓRIA AO PAI (6x)




CONCLUSÃO



SENHOR meu Jesus Cristo, que para resgatar o mundo quisestes nascer, ser circuncidado, reprovado pelos ímpios Judeus, entregue com um ósculo pelo traidor Judas, amarrado e levado ao sacrifício como um cordeiro, arrastado pelas ruas, levado com tanta ignomínia aos tribunais da Anáz, Caifás, Pilatos e Herodes, acusado por falsas testemunhas, cruelmente rasgado com tantos açoites, ludibriado, cuspido com repugnantes escarros, coroado de agudos espinhos, fustigado com a cana... que vos tapassem os olhos por zombaria, que vos despissem, vos pregassem com três cravos, e vos erguessem na cruz no meio de dois ladrões... que vos dessem a beber vinagre e fel, e vos transpassassem o coração com a lança!... Ó piedosíssimo Redentor, por tantas dores e penas, por nosso amor padecidas, e que nós vamos meditando agora, livrai-nos das penas do inferno, levai-nos ao paraíso, como o ladrão convosco crucificado, ó meu bom e dulcíssimo Jesus, que com o Pai e o Espírito Santo, viveis e reinais por todos os séculos dos séculos.


Fonte do texto: São Pio V

Imagens: Via Crucis, Felix Anton Scheffler - 1757 - Igreja de São Martino - Ischl, Seeon (diocesi de München) -Alemanha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...